2.27.2011

É nas dificuldades que encontramos as oportunidades

Continuas a saber todos os meus gostos e sei que se te perguntar qual é o meu maior sonho tu sabes responder-me. Se eu te disser que fico apavorada só e pensar no pior e no que pode ainda vir a acontecer a mim, a ti e nós… Se eu te disser que já nem sei como é viver sem ti e que não entendo como consegui (sobre)viver tanto tempo sem te ter comigo, eu sei que não acreditas. Ou acreditas?
Quando era mais pequena e o vento soprava loucamente à noite tinha dificuldade em dormir. O meu pai vinha para o pé de mim e dizia-me que a casa não era feita de palha nem de madeira, que era de tijolos, e como os três porquinhos sabiam, nada podia derrubá-la. Eis o que os três porquinhos não sabiam: o lobo mau era apenas o início dos seus problemas. A maior ameaça, na realidade, estava dentro de casa, com eles, e não se via.
Hoje, tenho dificuldade em dormir, não pelo vento mas pelo coração angustiado que sinto por vezes. Pelo arrependimento que tenho grande parte das vezes e pela vergonha que sinto de não fazer sempre tudo correcto como tu. Passo noites em claro para arranjar uma solução e razões para te merecer. Procuro de tudo em todo o lado para que te possa manter sempre por aqui, perto de mim. Nem sempre encontro, mas vou lutando e vou te mantendo.
Outras vezes acordo com palavras a pesarem-me na língua como pedras, sobras de um pesadelo recorrente em que tu e eu nos encontrávamos frente a frente. Tinha mil coisas para te dizer, e não era capaz de dizer nenhuma. Ao olhar para ele, via que também não conseguia falar, reparava que tinha a boca cosida e que no olhar “passava em rodapé”: « Quero tanto beijar-te. ». Quem sabe eu veja e sinta as coisas de forma diferente.
O que ainda me falta aprender é que as coisas raramente são tão limpas e arrumadas como aqueles «relatos de sofá» que eu ouvira no filme. O que fui aprendendo ao longo do tempo foi que, na esmagadora maioria das vezes, as histórias que ouvimos da boca dos velhotes felizes têm sempre o seu quê de exagero poético, de perfeito eufemismo para dar à coisa um brilho extra.
Existem pessoas, lugares e acontecimentos que nos conduziram a esta relação, e pessoas, lugares e acontecimentos que preferimos esquecer ou pelo menos ignorar para sermos realmente feliz.
A verdade é que cada casal tem duas histórias: a versão editada para ser partilhada no sofá e a versão integral que é melhor deixar sossegadinha. Nós não somos diferentes e também temos as duas, embora ambas tenham começado da mesma maneira.
Mas só para que saibas podem existir mil e uma maneiras porque eu vou amar-te de igual forma e isto não vai mudar, não é porque não seja possível, é porque eu não quero!

11 comentários:

Maria Inês disse...

muito obrigada!
o teu também está lindo, mesmo *.*
também sigo*

catarinap. disse...

está mesmo lindoo!

Diogo Passos disse...

Eu amo-te, meu amor! Nada deste mundo nos separa, isso eu te garanto! Temos as nossas dificuldades, e depois? Ultrapassamos tudo juntos! Não há dificuldade que derrube tal amor que possuímos, eu estou aqui, para ti! Estou aqui para te proteger, para te acariciar e para fazer de ti uma mulher feliz! Em mim, neste momento, só encontro partes do teu ser. Tudo o que sou é devido a ti e eu nunca vou abdicar de ti! És a pessoa que mais me faz feliz nesta vida e nunca amei ninguém desta forma!

NUNCA MAS NUNCA VAI ACABAR! PARA SEMPRE A TEU LADO MINHA GRANDE MULHER!

claudiarodrigues* disse...

apaixonante !
sigo*

carina, disse...

era bom que todas pensassem assim!
ai amor está tão lindooooooooo este ;o

carina, disse...

humm.. tua?
ainda bem gostas-te *.*

carina, disse...

ah não sabia xd
ó mas obrigadaaaa amor <3

carina, disse...

não sei se foi a verdade :p

claudiarodrigues* disse...

quem escreve bem és tu, adoroooo :o

claudiarodrigues* disse...

escreves melhor ana !

claudiarodrigues* disse...

não digas isso minha querida, acredita que são muito bons !
adoro!