12.20.2010

Por enquanto (...)


Não vou desistir, nem olhar para trás.
A estrada é longa e moribunda. As luzes estão desligadas e tal como eu, está fazia. Ouço somente o eco do meu coração, ou tal vez o eco da minha alma [não sei bem], a questionar-se:  “Quem vou ser quando crescer?” ; “O que vou fazer quando o meu tempo acabar?” ; “O que vou dizer quando as coisas não derem certo?” ; “O que vou fazer quando me encontrar sozinha?”
Preciso apenas de uma resposta e de um amigo. Preciso de uma estrela brilhante, com a qual eu possa contar, com a qual eu possa falar e fazer um pedido que nunca havia pedido antes para encontrar tudo aquilo que estou à procura.
Não quero ficar desiludida, nem quero esperar demais. Não quero. Quero, simplesmente, continuar a tentar e ficar a recear por aquilo que ainda não aconteceu ou que eu ainda não deixei acontecer.  
Todos querem ser vencedores e todos têm um sonho. Todos nós precisamos de um tempo. Todos nós precisamos de uma estrela brilhante quando as coisas não são o que aparentam ser, quando as coisas se tornam difíceis.
Mas esta noite, eu podia enganar o meu coração dizendo-lhe que consigo continuar a percorrer o meu destino sem ti, contudo, seria como caminhar no escuro.
Consegui chegar até aqui, consegui atravessar todos os grandes obstáculos. Caminhei sozinha por corações distantes, mas voltei e estou cá novamente, com um só objectivo, com uma só razão. Estou cá à minha procura, à procura do meu verdadeiro “eu”, para conseguir deixar-te para trás.
Neste mundo duro e frio, tenho que ser firme e enfrentar as avalanches, para conseguir alguma coisa. Tenho que percorrer muito e pisar muita calçada.
Sei bem que algumas pessoas caminham em estradas direitas, mas eu vou caminhando caminhos difíceis de pisar. Outros carregam a alma apaixonada, mas eu carrego a minha emaranhada.
Um dia, como hoje, o mundo podia mudar. O sol passaria a brilhar através da chuva. Um dia, como hoje, não vou querer ver o pôr-do-sol.


Livre é tudo o que eu quero ser. Sinto vontade de fugir, vontade de ir, mas nunca sei qual é o meu caminho. E se eu alguma vez partir realmente, quero apenas que saibas que eu estou aqui, pronta para percorrer o teu caminho, o teu destino.
 Quando isso voltar a acontecer, quando voltares a querer percorre-lo comigo (antes) deixa-me, por um segundos, (re)lembrar a nossa primeira noite juntos, o nosso primeiro beijo, a primeira vez que os nossos olhos se encontraram, o nosso primeiro toque, a nossa primeira palavra, o teu primeiro sorriso e os nossos dedos entrelaçados, a tua respiração, o cheiro da tua pele.
Enquanto eu for fraca e não te segurar nos meus braços, vou chorar todas as noites.
Amo-te

1 comentário:

D disse...

Namorada mais linda que faz textos mesmo bonitos $: