12.27.2010

Agora ou nunca



As memórias, com o passar do tempo, ficaram-se por escassas e desfocadas (ou talvez com a cor desbotada por tanta lágrima ter caído sobre elas) imagens.
Centenas de quilómetros de distância, nos separam, e está cada vez mais frio e eu sinto a tua falta.
 Nestas noites, geladas e silenciosas, às vezes apareces nos meus sonhos. Alias, não apareces apenas em sonhos, apareces sempre no meu pensamento onde quer que eu vá.  
Às vezes acordo e ainda me sinto adormecida. Às vezes encontro a oportunidade de sorrir, uma oportunidade tão surpreendente que a deixo escapar por entre os meus dedos. Às vezes flutuo fora do mar. Às vezes ouço os teus passos virem em minha direcção e mutuamente ouço o bater acelerado do meu coração. Às vezes não me compreendo. Às vezes até o que está certo é errado.
Os soldados, lutam para se tornarem fortes. Os atletas, correm até ao fim da prova. Eu, vou de encontro ao pôr-do-sol para imaginar e sentir a dor do dia depois do adeus.
Às vezes viras-me a cabeça do avesso, para veres o que penso acerca de ti. Às vezes viras-me, também, o coração para veres o que sinto por ti.
Há-de chegar o dia em que te vais manter de cabeça baixa para veres o que sinto agora, o quanto deprimida estou por te teres ido embora. Não tenho duvidas que nesse dia irás olhar para trás e verás a minha sobra a dobrar a esquina da rua. Nesse dia irás correr até mim, irás abraçar-me e dar-me a mão, como antes. Nesse dia sairemos os dois daqui! Ou então, virás hoje e fugiremos esta noite. Não sei.
Quero voltar para debaixo dos teus braços e esperar que me digas que tudo volta e que tudo será para sempre. Imagina tudo comigo, sonha tudo comigo, partilha tudo comigo.
Só não me deixes trancada no teu coração, deixa-me ser livre.
Nós éramos as peças do quebra-cabeças. Tu tinhas as perguntas e eu dava-te as respostas.
Faz de conta que é o agora ou nunca. Ou partimos ambos os corações ou ficamos juntos para sempre.


1 comentário:

D disse...

Vais escrever um livro *.*