5.05.2012

Às vezes sinto necessidade de parar o tempo. Sinto necessidade de dar sete voltas, no sentido anti-horário, ao meu relógio. Necessidades absurdas! Às vezes preciso de abrir a janela do meu quarto, por a cabeça de fora e dar um belo grito. Dizem que faz bem e que nos alivia a alma. Às vezes sinto falta de um abraço apertado... Daqueles abraços que nos fazem ficar sem ar nos pulmões e nos dão um sorriso que não tem fim. E é assim... às vezes faz falta chorar e deixar cair as lágrimas em cima de um papel qualquer enquanto se escreve as travessuras e os caminhos da amargura da nossa vida.
Quantas vezes já nos apaixonamos? Quantas vezes achámos que o que sentimos é tão avassalador que pode servir de resposta a tudo aquilo que procurávamos? Pois... Nunca esquecemos alguém que amamos, nunca deixamos de amar aqueles que nos amaram, nunca perdemos a sabedoria que nos legaram, nunca deixamos de ter saudades daqueles que mudaram a nossa vida. Mas às vezes eu sinto necessidade de mudar, de viajar para outros mundos.E à medida que a minha vida começa a mudar de direcção, agarro-me aos meus sonhos com uma mão e aos mais próximos com a outra. Fecho os olhos e penso de novo na quantidade de dias que eu já vivi e que já desperdicei, já passou tanto tempo. Podem não ter sido dias tão excitantes como ter começado um caso amoroso com um estranho mas, grande parte do tempo, passei-o a sorrir e isso tornou-se o melhor de tudo, mudou muita coisa. Hoje tenho solidez. Um cerne de solidez e ternura. Uma base na amizade e na família e sei que as coisas simples que são aqueles que são realmente importantes, são aquele as coisas que perduram. E com isso, às vezes, eu também digo: Às vezes, eu também sei ser feliz!

2 comentários:

- Susana . disse...

gosto*

J. disse...

adorei a foto!

seguir um ao outro?

http://are-you-gonna-be-my-girl.blogspot.com/